Leitora Compulsiva

Soul Rebel: Reviravolta, de Kimberly Mascarenhas #Resenha

soul rebel reviravolta kimberly mascarenhas leya blog leitora compulsiva epubTítulo: Soul Rebel – Reviravolta18

Série: Soul Rebel #1

Autor(a): Kimberly Mascarenhas

Editora: Leya

Ano: 2016

Páginas: 400

Sinopse: AQUI 

Download do 1º Capítulo: AQUI

Onde Comprar o livro: Amazon, Livraria Cultura, Saraiva, Fnac, Submarino

Onde Comprar o E-Book: Amazon (Kindle)

***




Em fevereiro, a parceria entre o Leitora Compulsiva e a Editora Leya foi renovada. Para não perder tempo, já fiz logo a solicitação do primeiro livro. Dei uma boa olhada nos livros disponíveis e escolhi “Reviravolta”, o primeiro da trilogia Soul Rebel escrita pela autora Kimberly Marcarenhas! Recebi um exemplar digital da editora e resolvi dar uma chance a ele…

Fiquei curiosa porque a história escrita pela autora foi primeiramente publicada como uma fanfic em uma plataforma de autopublicação. Segundo consta, o livro recebeu mais de 3 milhões de visualizações e foi um baita sucesso. Rs…

soul rebel reviravolta kimberly mascarenhas blog leitora compulsivaSobre o que é “Soul Rebel: Reviravolta”?

“Reviravolta” é o primeiro livro da trilogia Soul Rebel e conta a história de Cassidy. A garota mora e estuda em um colégio interno católico em Atlanta desde os seus 9 anos, quando sua mãe foi considerada um perigo para a sociedade e precisou ser internada em uma clínica para pessoas com problemas mentais. O pai de Cassidy simplesmente deixou a menina no colégio interno e sumiu no mundo…

Cassidy agora tem 17 anos e sua amiga Claire Gates se tornou sua família. As duas são inseparáveis e sempre que podem dão um jeito de fugir escondidas da escola para curtir uma boa balada…

E o livro começa justamente quando as meninas estão saindo às pressas de uma boate depois de Cassidy ter simplesmente jogado sua bebida na cara do misterioso e perigoso Drew Becker. Assim que chegam no colégio e entram escondidas em seus quartos, Cassidy acha que não precisa se preocupar mais com a ira de Drew…

O que ela não imaginava é que o dia seguinte lhe traria uma notícia horrível: sua mãe tinha acabado de falecer e ela seria levada para passar algumas semanas na casa de uma amiga de sua mãe, que ela nunca soube que existia…

Debora Becker tem as melhores intenções do mundo quando leva Cassidy para sua casa, só não imagina que a reação de seu filho Mason será tão ruim… Mason e Cassidy tem um primeiro encontro difícil e logo a garota percebe que essa temporada longe da escola não será fácil.

Mason é um cara cheio de si e dono de um sorriso arrebatador. Mas não é flor que se cheire… E é claro que Cassidy fica completamente caída por ele! A tensão sexual entre eles só não é maior que a implicância… E Cassidy acaba embarcando na aventura mais louca de sua vida!!!

O que esperar desse livro?

“Soul Rebel: Reviravolta” é um livro classificado como New Adult – um romance contemporâneo, com protagonistas entre 18 e 25 anos e uma bela pegada hot.

Como eu disse no começo dessa resenha, a história foi escrita como uma fanfic e fez um tremendo sucesso em uma plataforma de autopublicação. Encontrei muitos elogios em relação a esse livro e consegui entender porque as pessoas gostaram tanto: a trama tem um bom apelo para um determinado tipo de público!!

Infelizmente não foi um livro que me cativou. Simplesmente não consegui achar a história convincente e passei boa parte da leitura questionando as coisas que para mim não faziam sentido (e foram muitas!!)… A todo o momento eu pensava: Ah tá que isso ia acontecer no mundo real!!!

Querem um exemplo?? No comecinho do livro Cassidy tem um encontro tumultuado com o misterioso e perigoso Drew Becker. O cara é uma lenda em Atlanta, como uma espécie de mafioso ou algo assim. E ninguém sabe a verdadeira identidade dele… Pouco mais para a frente, Cassidy descobre que a real identidade dele é Mason Becker! É claro que faz o maior sentido alguém usar o próprio sobrenome em uma identidade secreta das ruas, não é mesmo! Rs… #SQN

Tudo acontece rápido demais: Cassidy joga bebida no cara bonitão. No dia seguinte descobre que sua mãe morreu e faz as malas para ir para a casa de uma completa desconhecida. No mesmo dia ela sobre uma tentativa de estupro e vai parar no hospital. No mesmo dia ela é liberada e volta para a casa de Debora. À noite ela acaba na cama de Mason… Oi?????? Alguém lembra que a mãe dela morreu?! Ela sequer vai ao enterro ou recebe os pertences da mãe…

Pode ser que eu seja crítica demais, mas a verdade é que não senti coerência alguma na história. Senti que a autora abusou demais dos clichês – e olha que eu adoro um bom clichê! O exagero foi tanto que, em determinado momento, o fio condutor da história se perdeu…

Para piorar a autora ainda resolveu romantizar o bandido e isso me incomoda demais!!! Acho um péssimo exemplo! Bandidos são bandidos… Mason e seus amigos são uma gangue e saem por aí distribuindo tiros, roubando e matando pessoas! Mas é claro que Cassidy acha tudo lindo, já que Mason é um cara gato!! Conta outra, né?! É essa a mensagem que a autora quer passar para suas leitoras?

Depois de ler o livro e fazer algumas pesquisas para essa resenha, percebi que o erro foi meu. Se eu tivesse procurado mais informações sobre o livro ANTES, teria percebido que não é a minha praia… Acabei me deixando levar pelo tal sucesso que a história fez no Whatpadd e me dei mal!! Rs…

Eu juro que queria ter gostado do livro, principalmente por ser de uma autora nacional com uma escrita tão boa… Pena que não rolou!!

Sobre a autora e seus outros livros…

Kimberly Mascarenhas é uma estudante de direito que escreveu sua primeira fanfic – Soul Rebel – em 2011. O livro foi publicado na plataforma Whattpad e desde então criou uma legião de fãs. Soul Rebel foi excluída da plataforma para o lançamento do livro pela Editora Leya. Reviravolta é o primeiro volume de uma trilogia que já está a venda em todo o Brasil.

26 comentários sobre “Soul Rebel: Reviravolta, de Kimberly Mascarenhas #Resenha

  1. Marília leocádio

    Amei a historia!!!
    A protagonista me pareceu um pouco muito doida e faz as coisas sem pensar, uma pena o livro não ter te cativado mesmo assim foi uma experiencia literária que não esquecemos, também fiquei aqui pensando nas coisas que você falou da historia e fiquei pensando tem muita coisa sem sentido aqui. Tive o mesmo problema no tal Whatpadd que você mais eu não adquiri o livro Diário de uma escrava quando comecei a ler o livro la percebi que não era minha praia ler uma historia tão pesada (de maneira nenhuma falando mal do trabalho da autora) mas eu realmente não gostei, mas o mundo literário é assim mesmo.
    Abraços!!!

    1. Camila - Leitora Compulsiva Autor da Postagem

      Oi, Marília.
      É uma pena quando um livro não agrada, por mais que a gente se esforce, né?!
      Mas eu sou bem chatinha, então coitado do livro!! Rs… Tenho dessas de ficar analisando as situações demais… Rs…
      Acho que a história é boa, mas poderia ter sido melhor trabalhada!
      Beijos

  2. rudynalva

    Camis!
    Até gosto de romances NA, mas que tenham coerência e mostrem uma certa evolução durante o enredo, não algo que suplante a morte da mãe e no mesmo dia já esteja na cama do cara que ela jogou bebida na boate…
    Imagino mesmo que seus questionamentos sejam corretos e espero que a autora perceba nos próximos livros uma forma de melhorar.
    Semaninha cheia de felicidade!!!
    “Não ganhe o mundo e perca sua alma; sabedoria é melhor que prata e ouro.” (Bob Marley)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de MARÇO, livros + KIT DE PAPELARIA e 3 ganhadores, participem!

  3. Leticia Ramos de Mello Oliveira

    Olá, Camila!

    Quando li você falando do Mason Becker e de como ele era um bandidão e mesmo assim a Cassidy achava tudo lindo, me lembrei das resenhas de Profundo e Intenso, já que o West era também assim e você falou disso muito bem nessas resenhas, só que não era um traficante de drogas porque quis, mas porque queria salvar e cuidar da irmãzinha, enquanto o Mason fazia por fazer, sem nenhum motivo “nobre”.
    Alias, se fosse comigo essa situação de ver duas pessoas com o mesmo nome em menos de um dia, já pergunto se é parente. Mas vai que a Kimberly pensou que nem todo mundo que tem mesmo sobrenome é parente e daí que veio a ideia do disfarce ter o mesmo sobrenome? Coisa de quem já pensou que era parente do Juscelino Kubitschek de Oliveira (Resposta sobre o parentesco: Não sou parente dele)! Mas ficção é assim: você faz o que quiser com seus personagens e quem gostar vai gostar, contanto que seja bem escrito.

    Um abraço!

    1. Camila - Leitora Compulsiva Autor da Postagem

      Oi, Lê.
      Pensei muito sobre essa coisa da ficção e acho que existem alguns limites.
      A autora escreveu um romance contemporâneo, no mundo real… Então vejo que existem algumas regras que devem ser respeitadas.
      Mesmo dentro da ficção, se o autor quer convencer o leitor de sua história, ele deve se preocupar com a verossimilhança!
      Isso é que faltou no livro!
      beijos

  4. Doralice Penedo

    Você me deixou curiosa vou ler pra entender mais da historia, eu gosto de romance talvez a autora quis levar um pouco da vida real pois o que eu acho que os jovens de hoje em dia gostam do perigo e principalmente bandidos.

  5. Elis Finco (@efinco)

    Eu odeio esse efeito “50 tons”. Anda me tirando do sério a história ser boa.. mas pra ter a cena que vai arrebatar o leitor.. cai quase no pornô. Porque? a história se perde pra ter as “cenas hot”. E tenho lido tanto isso nos livros nacionais que tá difícil viu.. =( enfim.. como tudo uma hora essa onda acaba. É aguardar.

  6. Francisca Elizabete

    Parece que tudo acontece muito rápido na vida de Cassidy, também me faria as mesmas perguntas que você fez!! Mas vou dá uma chance para o livro, e ver o que eu acho!! Adoro a parte do romance nos livros, mas tem coisas que absurdas!!

  7. elizabeth machado de salles

    Oi, flor. Tudo bem?
    Não esperava por isso. Estava com grandes expectativas sobre este romance. Li aqui sobre a personagem e nem sei o que dizer. ela é da pá virada, né? Doida demais? No fundo até que gostei do estilo dela. rsrsrs Acho que vou dar uma chance ao livro. Quem sabe eu o aprove? Espero gostar.
    Beijos.

  8. Kemmy Oliveira

    Oii! Não sabia que a autora era nacional. Isso de iniciar como fanfic me lembra de After hahaha
    De fato, pelo que você disse tem bastante coisa absurda, né? Por que um mafioso usaria o próprio sobrenome em sua “identidade secreta”? Além disso essa romantização de bandido não funciona pra mim, pelo menos eu acho que não. A autora precisa de excelentes argumentos para isso.
    De qualquer forma, se teve tantas leituras no Wattpad talvez eu acabe tendo uma experiência diferente da sua… só lendo para descobrir

    Beijos

  9. chefa

    Concordo com as suas posições, Camis! É muita informação que a autora quis usar e isso fugiu e muito da realidade! Se ainda colocasse um tempo maior entre um acontecimento e outro seria mais coerente… :/
    Beijos!!

    1. Camila - Leitora Compulsiva Autor da Postagem

      Oi, Vi.
      Acho que pode ser um pouco de falta de experiência e de preparação de texto.
      Não curto muito essa onda de livros de whattpad… As editoras pegam livros com muitas visualizações, mas ficam com medo de trabalhar a história e ferir o ego dos autores! Mas vamos combinar que número de visualizações não garante a qualidade!
      beijos

  10. Emanuelle

    Concordo com tudo o que foi dito, mas lhe faltou informação em duas coisas. Primeiro que o site se chama Wattpad, e segundo que ela não começou lá, ela começou no site que hoje se chama Spirit Fanfics. 🙂

Deixe aqui seu comentário e ficarei muito feliz em responder!!!

%d blogueiros gostam disto: