Leitora Compulsiva

Pegando Fogo, de Abbi Glines #Resenha

pegando fogo abbi glines resenha blog leitora compulsivaTítulo: Pegando Fogoao seu encontro abbi gline rosemary beach editora arqueiro blog leitoracompulsiva

Série: Rosemary Beach #13

Autor(a): Abbi Glines

Editora: Arqueiro

Ano: 2017

Páginas: 224

Tradução: Cássia Zanon

Sinopse: AQUI 

Download do 1º Capítulo: AQUI

Onde Comprar o livro: Amazon, Livraria Cultura, Saraiva, Fnac, SubmarinoBuscapé

Onde Comprar o E-Book: Amazon (Kindle), Livraria Cultura, Saraiva

***




E finalmente a série Rosemary Beach da autora Abbi Glines chega ao final com décimo terceiroo volume, chamado “Pegando Fogo“. O livro foi lançado pela Editora Arqueiro no mês de agosto, coincidindo com a vinda da autora ao Brasil para a Bienal do Livro do Rio de Janeiro.

Quem já leu essa série sabe que a Nan sempre foi uma vaca cretina (Rs!), então eu estava super curiosa para saber se a autora seria capaz de conseguir colocar a Nan como uma protagonista carismática! Assim que o meu livro chegou, corri para fazer a leitura…

pegando fogo abbi glines resenha blog leitora compusiva

Sobre o que é “Pegando Fogo”?

“Pegando Fogo” é o décimo terceiro e último livro da série Rosemary Beach. Ao longo de toda a série, Nan Dillon foi uma garota mimada, cretina e egoísta, sempre pronta para arruinar a felicidade alheia com sua irritante dose de ninguém-me-ama-ninguém-me-quer! Na cabeça insana da garota, ela se vê como o centro do universo e acredita que todos deveriam viver circulando em sua órbita. E quando isso não acontece, significa que as pessoas não a amam!!

Nan é carente e aproveita qualquer atenção que lhe é oferecida. Por isso, quando Major Colt (primo de Mase) a chama para sair, ela não perde tempo!! Nan sabe que Major não quer um relacionamento sério e que é do tipo mulherengo, mas a companhia eventual dele é melhor que nada… Pelo menos até ela cansar de esperar!

E quando isso acontece, Nan decide se presentear com um final de semana louco com as amigas em Las Vegas. Lá ela conhece Gannon, um empresário sedutor e com aquele ar misterioso, que proporciona a Nan tudo o que ela sempre quis, mas nunca soube! Gannon é o tipo de cara perfeito para Nan, mas, quando ele parte seu coração, ela volta correndo para Rosemary Beach e Major se apresenta para juntar os cacos!!

O que Nan não imagina é que Major e Gannon estão trabalhando juntos para conquistar sua confiança e obter informações importantes sobre um perigoso traficante francês…

O que esperar desse livro?

Sempre achei os livros da série Rosemary Beach ótimos, com uma narrativa simples e com uma trama bem viciante! Mas então, desde que a autora deixou de lado a relação dos personagens com a banda Slacker Demon e com o Clube Kerrington, trazendo para o centro da trama um lance todo de máfia e de bandidos, a série perdeu o brilho e esse último livro foi a cereja do bolo da minha decepção…

A trama até que não é ruim. A autora bem que tentou criar um clima de redenção para a Nan e nesse ponto até que ela ganhou pontos comigo, mas romantizar bandidos e tentar transformar assassinos em heróis, foi demais para mim!! Isso já tinha me incomodado no livro do Capitão, mas tinha tentado deixar para lá… Nesse livro não consegui!!

Juro que ainda não entendi porque a autora resolveu tomar esse rumo na série. Teria sido muito mais legal se ela tivesse explorado outros personagens, como o Jimmy, o Thad ou a a tia da Beth. Ela também poderia ter simplificado e trazido um personagem forte para encarar a Nan, sem que ele tivesse que ser um bandidão! Gannon poderia ser um jornalista inescrupuloso, usando Major para se aproximar de Nan e descobrir os podres do Slacker Demon… Acharia muuuito melhor!!

Algumas outras escolhas da autora para essa história final também não me convenceram, mas não vou comentar para não dar spoiler! Rs… A única coisa que eu posso dizer é que pensei “Ah tá, Claudia, senta lá…” algumas vezes… Rs!

Infelizmente, esse foi o pior livro da série para mim! Senti muita falta da vibração gostosa e do bem que encontrei nos outros livros!! Não vou deixar de recomendar a série por causa dele, mas mesmo assim é triste pensar que uma série tão bacana terminou assim!!

Sobre a autora Abbi Glines e seus outros livros…

Abbi Glines nasceu em Birmingham, Alabama. Morou na pequena cidade de Sumiton até os 18 anos, quando seguiu o namorado do colégio até a costa. Atualmente os dois moram com seus três filhos em Fairhope, Alabama. Autora de diversos livros da lista de mais vendidos do The New York Times, Abbi é viciada no Twitter (@abbiglines) e escreve regularmente no seu blog. (Fonte: Site da Arqueiro).

A série “Rosemary Beach” é composta pelos livros: Paixão Sem Limites, Tentação Sem LimitesAmor Sem Limites e Rush Sem Limites (a história de Rush Finlay e Blaire), Estranha Perfeição e Simples Perfeição (a história de Woods Kerrigton e Della Sloane), A Primeira Chance e Mais uma Chance (a história de Grant Carter e Harlow Manning), Para Sempre Minha (a história de Beth e Tripp), Kiro e Emily (uma novela da série), À Sua Espera e Ao Seu Encontro (a história de Mase e Reese), O Último Adeus (a história de Capitão e Rose) e Pegando Fogo (a história de Nan Dillon).

8 comentários sobre “Pegando Fogo, de Abbi Glines #Resenha

  1. rudynalva

    Camis!
    Pena que algumas escolhas da autora não convenceram você…
    Gosto muito quando a narrativa é intercalada, assim podemos ter uma visão mais abrangente.
    Gostei de ver que poderemos apreciar mais sobre a personalidade de Na e que ela é forte e não finge ser quem não é…
    Ansiosa pela leitura.

    Desejo uma semana maravilhoso!!
    “O primeiro passo para a cura é saber qual é a doença.” (Provérbio Latino)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE SETEMBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

  2. Fernanda Alvarenga de Assis

    Ei Camis,
    O último que li foi o Para sempre minha, mas ainda não deu para continuar a série.
    Não conheço ainda esses personagens que vc falou, mas essa história de bandidos ai não sei não. Eu gosto de alguns livros, mais morro de preguiça dos que tem sexo em excesso rs. Estou até na dúvida se continuo, mas os do Mase eu queria ler.
    bjs

  3. Leticia Ramos de Mello Oliveira

    Olá, Camila!

    Ser advogada tem dessas coisas mesmo! Eu até mesmo relevaria e pensaria “É ficção! Não ia acontecer algo assim na vida real!”, mas quando se esta do lado da lei, nem mesmo ser fictício te convence como leitora a aceitar um criminoso como herói. Acho que para ser do jeito que você imaginou a história da Nan, teria que ser lançado mais próximos dos livros ligados à Slacker Demon, pois agora com essa pegada mais criminosa na Rosemary Beach, não iria dar muito certo se a história da Nan fosse focada na banda.
    Mas o curioso é que o fato da Nan ser usada para irem atrás de um traficante faz com que ela pague um pouco de seu veneno, já que, à principio, ela não seria amada de verdade pelos dois, e quando ela descobrir isso, penso que o lado egoísta dela irá aflorar e se voltar contra os dois. E assim, não vai contra a essência dela mostrada nos outros livros.

    Um abraço!

    1. Camila - Leitora Compulsiva Autor da Postagem

      Oi, Lê.
      Acho que não é tanto pelo lado de eu ser advogada, porque eu nunca gostei dessa visão, desde pequena. Acho bem ridículo, na verdade.
      Os autores deveriam pensar melhor antes de idolatrar um bandido, porque suas histórias acabam sendo exemplo para jovens leitores!
      Beijos

  4. Carolina Durães de Castro

    Oi Camila, tudo bem?
    Também tive sentimentos ambíguos com esse livro. Além de tudo o que você comentou na sua resenha, tive muitas dificuldades em encarar essa nova Nan. Eu entendo que a autora gosta de grandes redenções, mas desde o primeiro livro essa personagem era a inimiga das mocinhas indefesas rs.
    Amei a resenha.
    Bjkas

Deixe aqui seu comentário e ficarei muito feliz em responder!!!

%d blogueiros gostam disto: