Leitora Compulsiva

Bienal do Livro SP – 2016: Primeiras impressões!

Bienal do livro são paulo 2016

A Bienal do Livro de São Paulo começou no dia 26 de agosto e muita coisa já aconteceu por lá. Estive presente nos três dias e hoje estou aqui para passar minhas primeiras impressões sobre a feira!




Vocês devem ter percebido que andei meio sumida por aqui e a explicação é uma só: Bienal do Livro de São Paulo! A feira, que começou no dia 26 e vai até o dia 04 de setembro, reúne as principais editoras, livrarias e distribuidoras do país. Eu frequento a Bienal do Livro desde que era criança e não perderia esse evento por nada.

Como sempre, tenho muito a dizer sobre a Bienal… Então, para ficar mais fácil de acompanhar esse post, vou dividí-lo em vários tópicos e em cada um deles vou tentar mostrar os pontos positivos e os negativos, tá?! Então vamos lá…

1) A chegada na Bienal do Livro de São Paulo…

Logo no primeiro dia já optei por ir de metrô, já que o estacionamento por lá cobra R$ 40,00! E para piorar, nem existem mais os estacionamentos mais afastados e mais baratos! Então o jeito foi pegar o metrô até a Estação Portuguesa/Tietê e de lá pegar o ônibus gratuito até a Bienal. Claro que há uma fila considerável para esse ônibus…

2) A entrada no Pavilhão do Anhembi

Para a minha sorte, tenho credencial de Blogueira e não preciso pagar para entrar, mas nem por isso fiquei menos indignada ao descobrir que os ingressos custam R$ 25,00, ou seja, é preciso pagar esse valor só para entrar no pavilhão do Anhembi. Agora já imaginou um casal que quer levar seus dois filhos para dar uma volta na Bienal? Precisam desembolsar R$ 100,00 só para colocar os pés lá dentro… Se forem de carro, o passeio já custou R$ 140,00 e nem começou ainda…

Em nenhum dos três dias que visitei o evento vi filas na entrada. Acredito que muita gente tenha optado por adquirir ingressos pela internet, o que facilita muito. Encontrei muitos funcionários na porta auxiliando as pessoas e achei tudo bem organizado!

3) Os estandes

Muitas editoras capricharam mesmo no visual. O que dizer do Estande da Rocco, todo decorado com o tema de Harry Potter?? A coisa mais linda, apesar de ser pequeno e um pouco apertado. Do lado de fora há uma decoração da Estação de Trem que vale a pena tirar fotos!

Os estandes da Intrínseca e da Arqueiro/Sextante são simples, bonitos e muito práticos, com bom espaço de circulação e muitas opções de livros. A Leya trouxe o já tradicional Trono de Ferro para as pessoas tirarem suas fotos. O estande da Companhia das Letras e da Universo dos Livros também estão ótimos. A Autêntica e a Novo Século tem estantes maiores esse ano e estão lindos! O estande da Aleph é pequeno, mas uma graça. Se bem que nem cheguei a entrar porque sei que será lá que gastarei a maior parte da minha verba, então preciso ir com calma!

Gente, e a Saraiva?? O estande da Saraiva é gigante!!! Praticamente uma vila!! Fiquei impressionada!! Completamente diferente do estande do Grupo Editorial Record, que surpreendeu negativamente por ser muito pequeno, apertado e com poucas opções do catálogo!

Algumas editoras nem sequer apareceram e muitos leitores estão sentindo falta, como é o caso da Novo Conceito e da recém chegada HarperCollins, que assumiu o catálogo da Ediouro! A Darkside também não tem um estande, mas é possível encontrar muitos de seus livros nos estandes das livrarias por lá!

4) A alimentação

Se o estacionamento e o ingresso já custam caro, imaginem só o custo da alimentação lá dentro do pavilhão! Uma água é vendida a R$ 6,00. Os lanches custam pelo menos R$ 25,00 e ouvi até alguém dizer que pagou R$ 18,00 por um milkshake! E por tudo isso, não foi surpresa ao ver tanta gente levando seus próprios lanches. Pelo menos é possível entrar com comida na Bienal… Ufa!! E, apesar da fila, optei por encher minha garrafinha de água no bebedouro!

Difícil ainda é encontrar um mesa nas praças de alimentação. Por isso muito gente acaba sentada no chão, encostada em algum canto!

5) Os eventos e sessões de autógrafo

Pelo o pouco que eu vi, os eventos e as sessões de autógrafo estão bem organizados. A distribuição de senhas pela internet evitou muitas filas e confusões. O único problema é que não existe a possibilidade de transferir a senha para outra pessoa. Há um controle muito rígido no acesso, com a exigência de apresentação de documento e tudo mais. Por um lado isso evita que uma pessoa pegue várias senhas para negociar na hora do evento, mas o ruim é que algumas pessoas desistem de ir na sessão de autógrafo e não podem oferecer as senhas para outras pessoas…

No meu caso, peguei senha para a sessão da Jennifer Niven, mas no início da semana passada recebi um convite da Companhia das Letras para o Encontro de Blogueiros e a autora estava presente. Autografei meu livro no encontro e não precisei ir na sessão de autógrafos da Bienal. Não usei a minha senha e fiquei com dor no coração porque vi gente na porta implorando para entrar sem senha… Peguei ainda senha para as sessões da Marian Keyes e da Tarryn Fisher, que aconteceram domingo de manhã por causa de um imprevisto médico que nem conto porque foi ridículo!

Uma coisa que me incomodou muito foi o desrespeito do pessoal da editora na sessão de autógrafos da Audrey Carlan. Foi informado nas redes sociais que cada pessoa poderia autografar até dois livros da série A Garota do Calendário. Na hora em que entramos na fila, fomos informados que a autora autografaria todos os livros, o que deixou muita gente brava, já que nem sequer tinham levado todos os livros… Curiosamente essa informação era dada pelo funcionário que ficava num balcão e tinha os livros para vender ali dentro da fila! E então os 50 primeiros tiveram todos os seus livros autografados até com nome, tiraram fotos, ganharam marcadores e foi aquela beleza. Mas é claro que o tempo começou a passar e começaram a se dar conta que precisavam liberar o espaço para a próxima sessão de autógrafos… E qual a solução encontrada? Tocar os leitores como gado!! Que ótimo, né?! Foi aquele corre, corre… Um rabisco no livro, uma foto de qualquer jeito, e “vai, vai, vai…”. Toma cinco marcadores e saia já daqui… Saí de lá me sentindo um lixo, mas resolvi dar sequência na minha programação… Depois descobri que a autora Audrey Carlan foi para o estande da Record e atendeu com calma todos os leitores que passaram por lá!

Outra coisa que me incomodou foi ver como os eventos estão infantilizados. Participei do evento de Harry Potter e me senti no jardim da infância. O rapaz que estava apresentando o evento agia como se falasse para crianças de 12 anos! Os convidados também não agregaram nenhum valor. Para terminar, fizeram um sorteio de um box da saga e de um exemplar do livro ilustrado e foi o cereja no bolo da desgraça. O primeiro número foi sorteado, o rapaz levantou todo feliz para receber seu prêmio e quando chegou lá na frente foi informado que teria que responder uma pergunta para ganhar. Era uma forma de conferir se ele era mesmo fã (e o evento nem era de fãs!)… Um dos convidados então fez uma pergunta bizarra de tão impossível e ficou se deliciando com a expressão de decepção do rapaz que não sabia responder e fez questão de humilhá-lo na frente de todo mundo… Ruim mesmo foi ver o mesmo convidado incitando a platéia a “zicar” as pessoas que era sorteadas! O resultado foi que as pessoas levantaram e foram embora antes mesmo do sorteio terminar. O pensamento geral foi: nem quero ser sorteado para não ter que passar por isso… #FailRocco

6) Os preços dos livros

Querendo visitar a Bienal do Livro para comprar livros mais baratos? Hum… Não é o caso! Não encontrei nenhuma promoção que valesse a pena. Até porque as livrarias virtuais estão fazendo promoções incríveis e vale mais a pena comprar nos sites do que lá na Bienal. Já viram os descontos no site da Amazon por exemplo? Pagar caro e ainda ter que carregar até em casa não compensa…

Bom, claro que sempre tem estandes que vendem livros por até R$ 10,00, mas são na maioria livros infantis, livros fora de catálogo ou até mesmo com defeito… É preciso procurar muito para encontrar livros que valham a pena! Nem mesmo os descontos de 20% de algumas editoras ajudam. Por isso eu sempre digo que vale a pena pesquisar os preços na internet antes de ir para a Bienal!

E quem quiser comprar livros na Bienal mesmo, vale a pena tentar negociar. No estande do Grupo Autêntica é possível conseguir um bom desconto levando mais de um livro e dando uma choradinha para os vendedores!! Eles querem vender e estão dispostos a negociar! É importante também pesquisar, porque os mesmos livros são vendidos nos estandes das editoras, mas também nos estandes da Saraiva, das Americanas, da Leitura e de outras livrarias e distribuidoras.

Ouvi um boato rolando pelos corredores que muitos estandes vão baixar os preços dos livros durante a semana, principalmente para tentar atrair mais público.

7) Impressão Final

Me dói no coração dizer isso, mas até agora estou decepcionada com a Bienal do Livro de São Paulo, que carinhosamente apelidei de Bienal da Depressão! É nítido que a crise atingiu com força o mercado literário!! Os corredores ficaram vazios até mesmo no final de semana… Nenhum autor internacional convidado arrastou multidões… E ainda somos obrigados a fingir que acreditamos quando a organização e as editoras dizem que esse ano estão valorizando o mercado nacional, dando espaço para a grande febre do momento que são os livros de Youtubers… Ah tá… Me engana que eu gosto… A gente sabe muito bem que essa é uma tendência totalmente fabricada! Como as editoras pagam direitos autorais bem baixos para esse pessoal, é um bom negócio, nada mais que isso… Tudo indica que o mercado literário está apostando em baixo custo, qualidade duvidosa e conteúdo fraco!

O melhor da Bienal foi, com certeza, encontrar os amigos!!

Todas as fotos que eu tirei até agora já estão num álbum no Facebook!!

19 comentários sobre “Bienal do Livro SP – 2016: Primeiras impressões!

    1. Camila - Leitora Compulsiva Autor da Postagem

      Oi, Dani.
      Que pena, né?!
      A organização e as editoras precisam se unir para repensar esse formato de evento.
      Vale a pena pensar até mesmo em mudar o local se o Anhembi está tão caro assim!
      Beijos

  1. Gláuce Volpi

    Oi…
    Nossa, foi ridículo o episodio, com a Audrey no sábado, é decepcionante ver os primeiros conseguirem autografos com nome, mimos e depois eles passarem a correr com o restante pq eles não souberam administrar o tempo… Esse episodio só fez com que as coisas sessões ficarem mais complicadas ainda. na sessão da Marian Keyes, tinha uma pessoa da organização da Bienal ao lado com um cronometro na mão, avisando que só tinhamos 30 seg, para o autografo, se passasse disso ela começava a falar, seu tempo já acabou… Cheguei cedo para pegar senha para o evento da Rocco, pensando que seria legal, pois já fui em outros e foram divertidos, outra decepção, tanto que não consegui ficar nem 30 min, nem sabia que teria sorteio, mas mesmo que soubesse não teria feito diferença… Nem cheguei a ver os preços das comidas, lembro que das edições anteriores não era baratas, então eu fui uma das pessoas que levou lanche de casa… Também achei o valor dos ingressos bem salgado, se levar em conta que a pessoa dificilmente irá sozinha para um evento desse, mas com relação a filhos, menores de 12 anos não pagam, mas mesmo assim são 90 reais (ingresso dos pais e estacionamento) que poderiam ter ser gastos em livros ou comida, já que crianças sempre irão querer alguma coisa de lah… E por falar com preço e livros, eles realmente estão caros, 90% deles não compensa comprar na bienal, antes de ir eu sempre faço uma planilha para comprar os preços de lojas online com os dos estandes, e eu quase não achei nenhum que compensasse.. Vamos ver como será a Bienal ao decorrer da semana e o fim de semana que vem…
    Beijos.

    1. Camila - Leitora Compulsiva Autor da Postagem

      Oi, Gláuce.
      Não consegui ir durante a semana ainda, mas estou me programando para dar uma passada lá amanhã!
      Quero ver se os preços dos livros melhoraram!
      Vou aproveitar para dar uma volta sozinha e olhar tudo com calma!
      Beijos

  2. Oliveira

    Camila, tanto tempo não venho aqui. Mas, tinha de saber como foi a bienal. E, de tudo o que disse o que mais me preocupou e me fez ficar constrangida só por saber do ocorrido, foi o caso do Harry Potter. A Rocco enlouqueceu? Pessoal perdeu o juízo ou quer ganhar um processo bem grande no final da bienal? Estou pensando que seja a primeira resposta, pois a segunda creio que não querem. Sinceramente, estou sentindo mal pela exposição que ocorreu só de saber, fico pensando para quem estava lá. Que coisa eim!

  3. Carol (Open Page)

    Oi Camis! Gosto que você é super sincera! 😀

    Eu estava até com vontade de ir, mas, pelo jeito está bem como da primeira vez que fui, se não me engano, em 2010, ou 2011… Se ainda tivesse algum desconto bacana até valeria a pena sair daqui de Campinas para aproveitar. Só que para gastar com gasolina, pedágio, estacionamento e entrada (nesse valor xD) só se valer a muito a pena mesmo! kkk Mas pelo que você disse e o que ando vendo por aí é que compensa mais aproveitar as promos de lojas online (ainda sai mais em conta!) rs.

    Que sacanagem esse evento da Rocco do Harry Potter constranger os sorteados. Afinal de contas, se é sorteio é sorteio e pronto ué. Ou então faz a pergunta primeiro para o pessoal que sabe se manifestar.

    Talvez eu vá no ano que vem para participar mesmo dos eventos direcionados para os parceiros, e aproveitar para conhecer e reencontrar o pessoal, rs. Quem sabe algum autor que gosto muito é convidado? Aí vou pensar bem no caso kkkk. 😀

    Bjs!

    1. Camila - Leitora Compulsiva Autor da Postagem

      Carol,
      Por mais que eu fique com dor no coração, essa Bienal me desapontou até agora!
      Para os blogueiros o passeio e a chance de encontrar os amigos vale a pena, mas para o público comum fica ruim…
      Foi estranho ver os corredores vazios no primeiro final de semana! Espero que as coisas melhorem nesses próximos dias!
      De qualquer forma, se decidir vir no final de semana, avisa para a gente se encontrar!
      Ano que vem a Bienal é no Rio de Janeiro!
      Beijos

  4. Lucas Souza

    Eu tinha que vir aqui ver suas impressões sobre a Bienal, rs. Sem comentários pra esse episódio ridículo da Rocco. Algumas editoras prezam profissionalismo, outras não. É infeliz o que fizeram com o rapaz. Mas o que esperar né?

    A organização melhorou em partes, por causa das senhas, mas eu consegui transferir a minha para outra pessoa sem problemas. Ainda há certas falhas no que eles mesmos propõe.

    E vamos lá pro último final de semana de Bienal.

    Beijos!

    1. Camila - Leitora Compulsiva Autor da Postagem

      Oi, Lucas.
      Acho que algumas editoras estão se perdendo e apostando em profissionais não qualificados. As parcerias não são tratadas com a seriedade que merecem!
      Fiquei sabendo que blogueiros que tem parceria com a Rocco nem sequer receberam o convite para participar do encontro.
      Também achei que a distribuição das senhas pela internet ajudou bastante, mas acho que valeria ter uma lista de espera e um sistema de desistência. Jura que conseguiu transferir a senha? Não me deixaram fazer isso com a senha da Jennifer Niven! Acho que dei azar!!
      beijos

  5. Tô Pensando em Ler (@leletapias)

    A Bienal pra mim tem sido eu, e eu, e eu vendo meus amigos. Só.

    Concordo com os preços dos alimentos e dos ingressos, um absurdo. Não participei de eventos, esse ano não vai rolar, só irei em um.

    Ainda bem que sobrou um tempinho pra ir me ver.

    Achei os preços muito fora da normalidade, mas confesso que isso também me ajudou. Com os preços exorbitantes dos livros das editoras maiores, eu consegui vender o meu, o que fez o preço baixar ainda mais para a segunda tiragem; então até que não foi de todo ruim 🙂

    Tenho fama de ver o lado positivo de tudo. E dessa vez tá muito positivo ♥

    ATÉ SÁBADO!!!

    Bjks

    1. Camila - Leitora Compulsiva Autor da Postagem

      Oi, Lelê.
      Para quem é blogueiro ou autor, vale a pena ir até lá e encontrar os amigos.
      Mas fico pensando que, para o público “comum”, esse é um passeio bem caro e não faz sentido!
      Depois de pagar estacionamento, ingresso e alimentação, que é que tem dinheiro para comprar livros?! Sei bem que tem vários estandes com promoções, mesmo assim os livros estão caros!
      Bom, no seu caso foi bom mesmo! E para mim foi bom também porque paguei mais barato no seu livro! rs…
      Ainda não perdi as esperanças e espero que os próximos dias sejam melhores!
      Beijos

  6. Cristiane de Souza

    Oi, Camis…
    Esse ano não terei a oportunidade de estar na Bienal… Estou acompanhando tudo pelas redes sociais e Blogs… Mas pelo jeito não estou perdendo muita coisa, infelizmente…. É uma pena que um evento literário como esse deixe tanto a desejar… Fiquei me colocando no lugar das pessoas que estavam concorrendo a prêmios e acabaram sendo humilhadas… Realmente constrangedor…. É algo para as editoras repensarem para que não ocorra em uma próxima vez, senão infelizmente menos pessoas serão atraídas a cada ano… o gostoso realmente é vc encontrar os amigos e conhecer pessoas que te acompanham a distância…
    Beijinhos…

    1. Camila - Leitora Compulsiva Autor da Postagem

      Oi, Cris.
      Acho que depois dessa Bienal, as coisas vão ter que mudar na organização.
      Senão é bem capaz do evento acabar porque é nítido que as editoras estão tendo prejuízo!!
      E esse comportamento horroroso nos eventos tem que acabar. Os leitores não são imbecis e devem ser tratados com respeito!
      Beijos

  7. Leticia Ramos de Mello Oliveira

    Olá, Camila!

    Para ser sincera, esses dias alguém perguntou porque a GloboAlt, selo da Globo, não tava na Bienal lá no Instagram. Fui pesquisar no site da Bienal para responde-la e vi que tinha sim um estande da Editora Globo, mas não conseguia achar no mapa do site porque é muito pequeno!!! E foi aí que notei que comparado com o Riocentro, onde é feita a Bienal do Rio, o Anhembi é bem menor. Vi até que tinha menos estandes que no Rio!!!!! E isso considerando que a Saraiva ficou com três deles para fazer a sua “vila”.
    Isso, junto ao preço alto dos ingressos, faz com que as pessoas percam um pouco o interesse na Bienal. Afinal, na mente de muita gente, a Bienal é um local lotado de gente levando livro para tudo quanto é lado e só vai valer a pena esse aperto se as atrações forem boas e se der para usar a maior parte dos dinheiro para os livros e não para outras coisas. Se não me engano, no Rio, o ingresso da Bienal era 5 reais, ou seja, o valor de um ingresso de São Paulo dá acesso a cinco dias na Bienal do Rio!
    Acho que se as editoras tem redes sociais, tinham que informar por elas as mudanças nas regras dos eventos e sessões de autógrafos. Vai que o cara que se deu mal no sorteio do evento da Rocco fica fazendo campanha contra a editora nas redes sociais? Ou se uma que foi prejudicada pela desorganização na sessão da Audrey Carlan também reclama disso na Web assim como você? Acaba com a imagem da editora e prejudica ainda mais a já fragilizada imagem da Bienal de São Paulo.
    Sei que não é sua praia e sim, a da Rosana do Livrólogos, mas além dos youtubers, outra moda que foi explorada pela Bienal para atrair público foi a dos realities e programas culinários e os livros derivados deles, chamando até participantes e produtores para falar sobre isso! No final, o que pauta agora as editoras é o “Já que gostam disso, vamos apelar para isso nos livros”, como já ocorre com os livros que foram adaptados em filmes e as capas dos livros que divulgam filmes. O problema é que isso é uma solução paliativa, que não envolve a educação para o valor do livro e da leitura. Pois se não se desperta isso nos jovens, eles só vão ler os livros de youtubers mesmo, só pelo simples fato de gostarem dos youtubers e não de gostarem de ler.

    Um abraço!

    1. Camila - Leitora Compulsiva Autor da Postagem

      Oi, Lê.
      Infelizmente tudo isso nos levará a questão: será que compensa manter a Bienal do Livro em São Paulo. Eu ainda acredito que sim, mas muita coisa precisa ser mudada, a começar pelo local. O Anhembi cobra caro demais pelo espaço e a partir daí tudo encarece. As editoras pagam tão caro por um estande que não conseguem dar descontos em livro. Até mesmo os restaurantes precisam cobrar caro para não ter prejuízo e por aí vai…
      É uma pena que as coisas estejam assim.
      Ontem o pavilhão estava lotado por causa das excursões de escola, mas muito pouco se viu em vendas! Algumas crianças reclamavam que seus pais só tinham lhes dado dez reais para comprar livro!! Tadinhas!
      Precisamos repensar esse formato!
      Beijos

      1. Leticia Ramos de Mello Oliveira

        Olá, Camila!

        Foi nisso que estava pensando quando escrevi o comentário. Pensei na São Paulo Expo, o centro de exposições usado para fazer a Comic Con Experience, antigamente conhecida como Expo Imigrantes. Como os donos da São Paulo Expo são os mesmos do Riocentro, talvez seja possível fazer o evento a um preço menor em um espaço maior, já que possui 14 mil metros quadrados a mais que o Anhembi após a ampliação que recebeu. A Bienal já foi realizada por lá e provavelmente só saiu porque na época era menor que o Anhembi. Agora, literalmente o jogo virou para o São Paulo Expo.
        Pensando que a CCXP é um evento feito todo ano, o Anhembi por causa dos custos, como você bem falou, fica fora de mão. E mesmo num período de crise e sendo um evento com ingressos mais caros, a CCXP conseguiu atrair bons convidados internacionais, mesmo que seja um evento que envolva cinema, tv e quadrinhos e não somente os livros.
        Acho que para ver se isso seria possível, você deveria perguntar ao pessoal da Intrínseca e da Aleph nos seus estandes da Bienal para ver se os custos de estande para eventos na São Paulo Expo são realmente menores que as do Anhembi. Se sim, acho bom todo mundo passar essa informação para a organização da Bienal!
        O único problema é que talvez tenham que remanejar a data do Brasil Game Show se a Bienal passar para a São Paulo Expo, já que essa anos, os dois eventos estão acontecendo ao mesmo tempo (O BSG começou hoje (01/09)).

        Um abraço!

        1. Camila - Leitora Compulsiva Autor da Postagem

          Oi, Lê.
          Acho mesmo que no Imigrantes (não consigo me habituar com o nome novo! Rs…) seja melhor mesmo!
          E não vejo problema com a data, porque na verdade a Bienal nesse ano é que aconteceu tarde. Normalmente o evento acontece inteiramente no mês de agosto!
          Acho que é a melhor opção hoje, e também a mais barata e de mais fácil acesso!
          beijos

  8. Márcia Saltão

    Oi Camila, tudo bem?
    Obrigada por compartilhar suas impressões! Nunca estive em um evento grande como esse, mas é um sonho. Fica difícil, pois moro no RS e os gastos para uma viagem assim, seriam muito altos, não compensando, pois com esse valor, compraria muitos livros. Bem, mas caso fosse, não tenho a expectativa de livros baratos. Muito menos praça de alimentação com valores baixos. Em todo grande evento, infelizmente, é assim. Pelo menos foi bem organizado. Não imaginava que a Bienal demonstraria crise das editoras, fiquei surpresa, porque o marketing deles é sempre tão forte, que convence que tudo são flores! Mas a realidade é essa. Bem, o melhor mesmo é encontrar os amigos, como você falou, e tirar muitas fotos! E deixar para comprar muito livros, nas promoções virtuais! Obrigada por suas palavras. Beijos!

    1. Camila - Leitora Compulsiva Autor da Postagem

      Oi, Márcia.
      Voltei agora durante a semana e encontrei algumas boas promoções que eu não tinha visto no final de semana.
      Alguns estandes de livrarias pequenas e distribuidoras tem bons preços, mas é preciso garimpar bastante porque muitos livros tem pequenos defeitos e nem sempre é fácil encontrar algum livro da nossa lista de desejos.
      A Bienal vale ainda a pena para encontrar autores, conhecer novos trabalhos e tirar muitas fotos!
      Beijos

Deixe aqui seu comentário e ficarei muito feliz em responder!!!

%d blogueiros gostam disto: