Leitora Compulsiva

Damian Dibben – Os Guardiões da História: O Princípio da Tempestade

Não é novidade para ninguém que a moda atingiu também o mundo literário e faz com que nós, os leitores, sejamos levados a seguir tendências, acompanhar os gêneros que estão em alta no momento, descobrir qual será o próximo assunto a dominar as passarelas, ops, as prateleiras das livrarias…

É natural que a gente acabe caindo nas “armadilhas” do mercado e parta logo para a sessão de mais vendidos ou se limite a procurar pelos livros mais divulgados e comentados do momento. E é lógico que os blogs literários contribuem muito ao “ditar as regras” e estabelecer quais os livros vão pegar ou não! rs… Não vamos nos esquecer que as parcerias com editoras fazem com que muitos blogs publiquem suas resenhas sobre um mesmo livro em um curto espaço de tempo, dando a sensação na gente que o livro está bombando e que todo mundo só fala dele…

Tá, eu sei que sou blogueira e também participo desse jogo de marketing das editoras, mas não estou aqui condenando essa prática, estou apenas fazendo uma constatação.

E por que isso?!

Bom, porque às vezes eu olho para a minha estante e vejo livros que parecem incríveis, mas que acabei deixando de lado porque caí na armadilha da moda literária!! Quantos livros nós acabamos deixando de lado, para dar preferência aos livros que estão “bombando”? Eu faço muito isso e acabo perdendo a oportunidade de descobrir uma história incrível!

Vejo também que isso acontece quando entro numa livraria. Se eu olhar para um livro na prateleira e nunca tiver ouvido falar dele ou do autor, nem “perco o meu tempo” lendo a sinopse e tentando descobrir do que se trata. Vou direto para aquele livro sobre o qual li uma resenha recentemente ou vi um post sobre o seu lançamento no Facebook… Pode parecer ridículo, mas eu confesso que sou um alvo perfeito para os marketeiros de plantão!! rs…

Felizmente, o destino às vezes é legal comigo e me salva dessas armadilhas, colocando em minhas mãos um livro que provavelmente eu nunca compraria, porque nunca ouvi falar dele!! rs…

É exatamente isso que aconteceu com esse livro de hoje. Eu nunca tinha ouvido falar dessa série e nem vi nenhuma resenha sobre ele ainda. Não tinha a menor ideia do que se tratava, mas como eu tinha que escolher um livro para pedir para a Rocco em um determinado mês e não havia nenhum lançamento pelo qual eu aguardava, acabei me contentando em pedir esse livro e ver no que dava! Rs…

Resultado: me dei bem, porque o livro é ótimo!! Rs…

Esse primeiro volume da série Os Guardiões da História (The History Keepers) – O Princípio da Tempestade – nos apresenta Jake, um adolescente londrino do século XXI, que descobre que os pais estão desaparecidos em algum lugar da Itália do século XVI. Como assim?! É exatamente isso que descobrimos junto com Jake ao longo de todo o livro.

Jake sempre achou que seus pais eram meram comerciantes, donos de uma loja de cerâmica no centro de Londres e que precisavam viajar para feiras de cerâmicas por toda a Inglaterra. Pelo menos essa era a desculpa que Alan e Miriam Djones davam ao filho para que ele não descobrisse a real profissão dos dois.

A verdade é que Alan e Miriam Djones são agentes de uma sociedade secreta, cujo objetivo é cuidar para manter a história da humanidade intacta, protegendo-a dos inimigos que querem a todo custo alterá-la. O problema é que os dois agentes foram enviados para algum lugar da Itália, em algum ano do século XVI, para uma missão e desapareceram. Exitem indícios de que o arqui-inimigo dos Guardiões, o princípe Zeldt, ainda esteja vivo e planejando alguma coisa muito cruel para alterar a história do mundo.

E agora é a vez de Jake aceitar a sua herança como um guardião da história e partir para uma aventura, na tentativa de encontrar os pais e salvar o mundo. Junto com Topaz, Charlie e Nathan, ele parte para a última localização conhecida de seus pais e vai atrás de pistas que o levam na maior aventura de sua vida.

O resultado disso é um livro ótimo, dinâmico e impossível de largar. Tem um estilo bem parecido com a série Percy Jackson: adolescentes partindo numa missão para salvar o mundo, mas ao invés de mitologia, temos um suave passeio pela história mundial.

Esse primeiro livro tem muita explicação de como tudo funciona, mas traz também muita aventura. Apesar de ser uma série, o livro tem um desfecho bem satisfatório. Foram dadas as explicações sobre o que são os Guardiões da História e como eles trabalham. Foi apresentado o vilão da história e qual o seu plano maligno. Os jovens agentes arriscaram suas vidas e no final, depois de concluída a missão, ficou o gancho para a próxima aventura.

O segundo livro da série – Circus Maximus – foi lançado recentemente lá fora e estou na torcida para que seja publicado em breve aqui no Brasil!!

18 comentários sobre “Damian Dibben – Os Guardiões da História: O Princípio da Tempestade

  1. Mayara Tashiro

    Oi Camila!
    Se era por falta de divulgação, aí estar!
    Essa capa por algum motivo obscuro me lembra de Star Was!!! Fiquei interessada no livro, mesmo não sendo o meu gênero favorito, porque sou apaixonada por história… Essa parte me fisgou e vai fazer eu comprar o livro!
    Beijos, bom final de semana, May…

  2. Carolina

    Oi Camila, tudo bem?
    Eu já havia lido a sinopse do livro, e achei bem interessante. Infelizmente, eu tenho que admitir que estou tendo problemas ao selecionar um livro para comprar. São tantos lançamentos de uma única vez que fica difícil filtrar quais livros comprar ou não. Admito que literatura estrangeira eu tenho comprado livros mais divulgados (é triste eu sei), e os nacionais eu tenho selecionado na maioria das vezes (nem sempre) pela sinopse. Outra situação que eu venho evitando, eu já até cheguei a comentar isso antes, é a compra de séries novas. Mas vou deixar o nome anotado.
    Parabéns pela resenha.
    Beijos

  3. Fernanda Souza

    Camis acho que todo mundo que tá no meio literário anda questionando isso, rs. Eu mesmo tirei dez livros da estante que encostei porque ano passado me joguei nas modas literárias e esqueci as maravilhas que comprei.
    Que bom que você se deu bem nessa leitura, só não vou arriscar porque no momento já comprei demais.
    Beijos
    http://www.leitoraincomum.com

  4. Marina Faeda

    Oi Camis!

    Eu não sou um alvo tão bom pra esse tipo de armadilha, felizmente! Também não condeno a prática, acho aliás que é uma excelente estratégia de marketing, e que, se for pra comprar alguma coisa, que sejam livros! rss! Mas a verdade é que eu já tenho tanta coisa que queria ler, que acontece bastante de não ter lido um livro “da moda”. Demorei um tempo pra ler Jogos Vorzes, por exemplo, e nem sei o que acontece direito em “Dezesseis Luas”, e olha que acaba de sair no cinema! Acho que sou meio desatualizada em termos de leitura efetiva, mas se for por resenhas estou craque, sempre acompanho as suas! 😉 rss

    Bom, sobre o livro da resenha de hoje, me interessou muito! Até pq, falou em Itália, falou em Marina! Esse entra na minha lista de “to read” com alguma chance de ser lido nos próximos 5 anos! rss!

    Ótima resenha, como sempre! Beijos!

Deixe aqui seu comentário e ficarei muito feliz em responder!!!

%d blogueiros gostam disto: