Escrevendo sobre o que eu li.

Bienal do Livro de São Paulo – 2014: Minhas primeiras impressões!

Eventos Literários- Camila - Leitora Compulsiva - 17:58
ago252014

oficialbienal

Como uma boa leitora compulsiva, um dos eventos que eu mais esperava nesse ano era a Bienal do Livro aqui de São Paulo. A feira, que começou no dia 22 e vai até o dia 31 de agosto, reúne as principais editoras, livrarias e distribuidoras do país. São cerca de 480 expositores participantes que apresentam para 800 mil visitantes seus mais importantes lançamentos em um espaço total de 60 mil m².

Eu frequento a Bienal do Livro desde que era criança e não perderia esse evento por nada. Além de ter atrações super interessantes, finalmente eu posso comprar livros!! rs… Não sei se vocês se lembram, mas no começo do ano fiz uma promessa de não comprar livros até a Bienal! O que eu desejava se realizou logo em janeiro, mas segui firme na promessa!

Estava tão empolgada para esse evento que já fui no primeiro dia. Logo de cara fiquei indignada com o preço do estacionamento: R$ 40,00. É um absurdo! Os estacionamentos mais baratos ficam longe e como eu precisava comprar uns 50 livrinhos para um evento, tive que parar o mais perto possível, o que significou desembolsar essa grana toda! Para quem quer economizar, o negócio é ir de metrô até as estações Tietê ou Barra Funda e de lá pegar os ônibus gratuitos até o Anhembi…

Depois de parar o carro, fui até a área do credenciamento e fui super bem atendida. Não peguei fila e uma funcionária super simpática me orientou corretamente. Não tive nenhum problema em pegar a minha credencial e entrar. Como eu sabia que a Bienal não estaria tão cheia na sexta-feira, levei a minha mala de rodinha e nem precisei me preocupar em carregar peso! Aproveitei também para levar uma garrafa de água e algumas bolachinhas…

Até que tinha bastante gente na sexta-feira, mas era possível andar calmamente pelos corredores, entrar nos estandes e peguei pouquíssima fila nos caixas e até mesmo para comer alguma coisa na praça de alimentação. Falando em alimentação, os preços novamente me deixaram assustada. Pagar 20 reais por um lanche frio e murcho é demais, né?!

Uma das melhores coisas foi poder aproveitar a presença de uma porção de autores nacionais. Não havia fila para autógrafos e nem para fotos… Foi só chegar lá e tietar!! rs… Finalmente tive a honra de conhecer a Marina Carvalho, autora de Simplesmente Ana e De Repente Ana, que me fez chorar com a linda dedicatória que escreveu no meu livro!!

Sobre minhas compras… Na sexta-feira comprei 5 livros:

- Tamanho 42 e Pronta para Arasar, da Meg Cabot – De R$ 42,00 por R$ 29,40.

- Encontrada, da Carina Rissi – de R$ 40,00 por R$ 28,00

- Panteão, do Sam Bourne – de R$ 42,00 por R$ 29,40

- De Repente Ana, da Marina Carvalho – por R$ 30,00

- Maluca por Você, da Rachel Gibson – por R$ 9,90

Os três primeiros livros comprei no Estande da Record, que está oferecendo desconto progressivo. Como comprei 3 livros, ganhei 30% de desconto em cada. Esses eram livros que eu queria muito e achei que o desconto valia a pena. O livro do Sam Bourne não é tão conhecido e nunca entra em nenhuma promoção! rs… O ‘De Repente Ana’ não tinha jeito mesmo. Eu queria muito um autógrafo da Marina e o jeito foi comprar o livro ali na hora. Achei meio salgado o preço, mas valeu! O livro da Rachel Gibson não estava na minha lista de desejados, mas eu achei que o preço valeu a pena!!

Várias editoras oferecem bons descontos. A Intrínseca tem uma área só de livros por R$ 5,00 ou R$ 10,00 reais. A Gente oferecia livros com R$ 50% de desconto. A V&R tem livros com desconto e até o “Compre 1 e leve a continuação”! rs… São muitos livros a preços promocionais, mas nem tudo tem um preço convidativo.

Antes de ir para a Bienal, pesquisei o preço atual de todos os livros que eu queria e só comprei mesmo o que valia a pena. Para o meu azar, muitos livros com preços incríveis eu já tenho, então dancei! hehehehe

Infelizmente, toda essa tranquilidade da sexta-feira não se repetiu no sábado! Cheguei no Anhembi por volta das 9:30 da manhã e o que pude presenciar foram verdadeiras cenas de selvageria na porta. Uma multidão se amontoava perto das portas e se espremia nas grades… E todo esse desespero só para entrar correndo e pegar senhas para sessões de autógrafos com as autoras Cassandra Clare e Kiera Cass. Aquilo parecia um zoológico. Gente de todas as idades se comportando como bichos… Chegaram até a arrancar uma porta!

Encontrei algumas amigas na porta e junto com uma delas fui tentar chegar na entrada especial para os credenciados. Quase passei mal! Fui empurrada, arranhada e xingada por pessoas que nem iam entrar por ali, mas já presumiram que eu estava tentando furar a fila e passar na frente delas. Ainda bem que nem me atrevi a levar minha mala de rodinhas…

A coisa foi tão feia que pessoas chegaram a ser pisoteadas! Foi triste ver pais submetendo crianças de colo àquele horror, só para tentar uma entrada “preferencial”.  O corre-corre que se deu quando a bilheteria foi aberta era praticamente uma cena de Jogos Vorazes!!

Para piorar, o evento ficou lotado o dia inteirinho. Havia filas imensas para tudo. Cheguei a ficar com medo de beber água, só por causa do tamanho da fila do banheiro! O calor estava insuportável e a educação das pessoas ficou do lado de fora! Cheguei a presenciar brigas, furtos, empurrões… Pessoas exaustas que se sentavam no chão dos corredores e atrapalhavam ainda mais a circulação… A internet deixou de funcionar logo cedo e nem as máquinas de cartões de crédito estavam funcionando! O sinal de celular caiu logo no início da tarde!

Acredito que ninguém podia esperar pelo o que se viu naquele dia. A Bienal do Livro sempre foi um evento que atraiu pessoas tranquilas, interessadas nos livros e nas novidades do mercado. As pessoas iam a esse evento para conhecer autores e assistir palestras… Conseguir uma foto com seu autor preferido era apenas um bônus.

O que se viu no sábado foi a invasão do “rolezinho” em um evento cultural. A preocupação da maioria era com os selfies e com a ostentação! Imaginem só como essas pessoas reagiram quando a internet caiu?! Foi uma revolta generalizada! Afinal, como é que essas pessoas iriam se exibir para os outros nas redes sociais?!

O sábado só não foi um dia perdido porque pude encontrar grandes amigos e participar de três eventos bem bacanas. O primeiro deles foi o Encontro de Blogueiros da Intrínseca, que teve a participação especial de Hugh Howey – autor do Silo. Ele era o autor que eu mais queria conhecer nessa Bienal, então valeu o dia!! rs… O segundo evento que participei foi um encontro super divertido de fãs da série Outlander. Por fim, participei do Encontro de Blogueiros da Arqueiro, Sextante e Saída de Emergência.

Fiquei tão exausta que tive que tirar o domingo de folga para repor minhas energias! rs…

Todas as fotos que eu tirei até agora já estão num álbum no Facebook!!

Gabrielle Zevin – A Vida do Livreiro A. J. Fikry

Drama, Literatura Estrangeira, Romances- Camila - Leitora Compulsiva - 8:00
ago242014

Título: A Vida do Livreiro A. J. Fikry

Autor(a): Gabrielle Zevin

Editora: Paralela

Ano: 2014

Páginas: 192

Tradução: Flavia Yacubian

Sinopse no Skoob

***

Outro dia desses recebi um e-mail do pessoal da Cia das Letras perguntando se eu tinha interesse em resenhar um livro deles. Eu não tenho parceria fixa, mas eles sempre se oferecem para mandar algum livro. Curiosa com o título, fui ler a sinopse e pensei: “Esse parece ser o tipo de livro que eu adoro!”. Afinal, qual é o leitor que não fica interessado num livro que fala sobre livros, sobre livrarias e sobre a paixão pela leitura?! hehehe

O livro conta a história de A. J. Fikry, o dono da única livraria da cidade de Alice Island. Sua livraria, a Island Books, não é muito grande e nem tem os livros  de grande sucesso. Fikry é um viúvo tão carrancudo e metódico que logo de cara passa a impressão de ser bem mais velho do que realmente é. Ele é daquele tipo de comerciante que não vende o que não gosta, então a Island Books não tem best sellers e nem nada que Fikry julgue ser uma literatura ruim, mas como é a única livraria da cidade… fazer o que?!

A vida de Fikry é bem chatinha… Ele abre no mesmo horário e se livra dos clientes na hora de fechar a loja. Tem uma assistente que o incomoda, mas que ele não tem coragem de mandar embora porque sua falecida esposa Nic a tinha contratado. As noites de Fikry são basicamente regadas a vinho barato, comida congelada… Pelo menos a leitura é boa! rs…

As coisas começam a mudar na vida de Fikry quando um livro raríssimo e super valioso que ele possui simplesmente desaparece de seu apartamento! Ele corre para a delegacia e pede a ajuda do policial Lambiase, mas não há nenhuma pista a ser seguida e nenhum suspeito. O sumiço do livro é realmente um mistério.

No entanto, o que realmente mexe completamente com a rotina de Fikry é um pequeno pacote deixado em sua livraria. Alguém simplesmente abandonou uma linda menina de dois anos na sessão infantil da livraria de Fikry!!! No início ele pensa que isso é problema da polícia, mas ao saber que não há ninguém para cuidar dele, ele decide que vai ficar coma menina, de nome Maya. A chegada da menina vira a vida de Fikry de cabeça para baixo, mas de uma forma boa e emocionante. O livreiro precisa mudar de vida para criar Maya, mas ele sabe que isso é a coisa certa a fazer. A menina é super inteligente e adora livros!!! rs…

Apesar de ser um livro de apenas 192 páginas, a história que ele contém é grandiosa! Fiquei completamente apaixonada por esse livro e posso afirmar que ele é um livro obrigatório para quem ama histórias sobre livros. A narrativa é simples e torna o livro bem fácil de ler. Além disso, a história prende o leitor de tal maneira que fica impossível de largar.

A.J. Fikry é um protagonista apaixonante. No começo ele parece super rabugento, mas aos poucos ficamos sabendo o que ele passou na vida e as coisas começam a fazer sentido. Muita gente que perde a pessoa que ama resolve se fechar para o mundo e é isso o que aconteceu com ele. Ele se mudou para Alice Island e abriu a livraria porque esse era o sonho de sua esposa Nic. Ela sim amava tudo aquilo… Apesar de Fikry amar os livros, ele não é muito bom com os negócios. Aos poucos fui percebendo que ele era apenas um cara sem esperança e sem objetivo de vida. E tudo isso mudou com a chegada da pequena Maya. A garota lembra a Fikry que ele é capaz de amar, de se apaixonar, de ter amigos e principalmente que ele precisa aceitar ajuda!

Há outros personagens secundários que deixam a história ainda melhor! O policial Lambiase, a cunhada de A.J. e Amelia Lomam foram os que mais me cativaram. Os três tem papéis fundamentais na história a ajudam Fikry nesse novo começo de vida!!

Essa com certeza é aquele tipo de história que nos acompanha por muito tempo, mesmo depois do livro ter acabado! Entrou para a minha lista de favoritos!!!

Para terminar, deixo aqui um vídeo com uma entrevista com a autora Gabrielle Zevin. Infelizmente o vídeo não tem legenda, mas não é muito difícil de entender para quem manja um pouquinho de inglês!!

Paralela - Rosa

Resenha Dupla: Luiz Bras – Vitor e o Invísível / Paulo Garfunkel – Shui Entre os Vermes da Superfície

infantil- Camila - Leitora Compulsiva - 11:16
ago212014

VITOR_E_O_INVISIVEL_1401506614P2Título: Vitor e o Invisível

Autor(a): Luiz Bras

Ilustrações: Bruna Ximenes

Editora: SESI-SP

Ano: 2013

Páginas: 32

Sinopse no Skoob

***

No final do mês de maio rolou o V Encontro de Blogs de Letras e a patrocinadora desse evento foi a Editora SESI-SP. Já falei sobre o evento aqui no blog, mas hoje estou aqui por outro motivo… No encontro os autores Luiz Bras e Paulo Garfunkel estavam presentes e ganhamos seus livros em um kit lindo preparado pela SESI-SP para nós. Tive a oportunidade de ler os dois livros já e fiquei completamente encantada, não só com as histórias, mas também com as ilustrações.

IMG_4322O primeiro que eu li foi ‘Vitor e o Invisível’, com texto de Luiz Bras e ilustrações de Bruna Ximenes.  O livro tem apenas 32 páginas e faz parte da coleção Quem Lê Sabe Por Quê, que visa a promover o estímulo à leitura e o desenvolvimento de acervos, melhorando o desempenho escolar. E coleção é composta por livros paradidáticos voltados a crianças e jovens, além de livros sobre temas relacionados à leitura e à formação de um público leitor. Então, por óbvio, já dá para perceber que esse é um livro para crianças!! rs… 

IMG_4321O personagem central dessa história Vitor, um garoto de 7 anos que um belo dia começou a ver o Invisível, mas o Invisível não ficou muito satisfeito não… Rs! Bem que o Invisível tentou escapar, mas Vitor continuou a enxergar todas as coisas minúsculas, como átomos e moléculas, e todas as coisas maiúsculas, como o universo inteiro! O menino aproveitou para brincar e criar coisas novas com o Invisível. Durante essas brincadeira,  Vitor encontra uma menina que, assim como ele, também enxerga o Infinito. A menina então, percebendo que Vitor é como ela, o convida para viajar com ele pelo Infinito, explorar o infinito. Mas será que essa é uma viagem para a qual Vitor está pronto?

Bom, já deu para perceber que o livro é super lírico, né?! É um daqueles livros que merecem ser lidos com as crianças. Não basta dar o livro para um criança ler… tem que ler junto com ela!! rs… E esse meu exemplar aqui tem destino certo: o quarto de brinquedo dos meus sobrinhos na casa da minha mãe. Assim, quando eu encontrar com eles por lá, posso sentar e ler essa história para eles!!

Título: Shui Entre os Vermes da Superfície

Autor(a): Paulo Garfunkel

Ilustrações: Yuri Garfunkel e Bruno Mestriner

Editora: SESI-SP

Ano: 2012

Páginas: 136

Sinopse no Skoob

***

 O segundo livro que li foi “Shui Entre os Vermes da Superfície”, do autor Paulo ‘Magrão’ Garfunkel. Para quem não conhece, Paulo Garfunkel é famoso pela história em quadrinho chamada “O Vira-Lata”, premiada por sua participação na campanha de prevenção à AIDS dentro do presídio do Carandiru, na década de 90.

E nessa mesma linha educativa, Garfunkel nos traz a história de Zeca e Shui. Zeca – apelido de José Caipora Júnior – é um garoto novo no bairro. Ele se mudou com a mãe para um apartamento velho há menos de um mês e ainda não fez amigos na vizinhança. Num belo dia, ao voltar para casa depois de uma aula chata da Dona Matilde, Zeca acaba se deparando com uma antiga moradora do bairro, conhecida por todos como “A Velha”. Acho que todo bairro tem uma mulher ou um homem como ela… Pelo menos aqui em São Paulo tem muitos desses… Sabe aquele tipo meio doido, que vive de catar lixo e xingar as pessoas na rua e ainda anda com um cachorro pra lá e pra cá? Pois é… Assim é a tal da “Velha” do bairro do Zeca. O encontro não é muito bom para o Zeca, que ainda sai de lá com uma maldição na cabeça! rs…

Depois desse encontro coisas estranhas começam a acontecer com Zeca… O garoto acaba se deparando com Shui das Águas Cristalinas, um ser azul e tão pequeno que não parece mais do que uma gota de suor. De acordo com Shui, ele foi enviado das profundezas da Mãe Terra, com a missão de observar como nós humanos – que ele chama carinhosamente de Vermes da Superfície – estamos cuidado das águas do nosso planeta.

A história do Zeca então se transforma em uma grande aventura, com direito à participação da velha maluca, do astro pop Rick Ricardo e seu assistente chamado Adamastor e do amigo de Zeca – o Espaguete. Eles se metem em várias confusões e situações super engraçadas.

Mas apesar do toque de humor, a mensagem desse livro é de grande importância e super atual. O assunto aqui abordado é o uso indevido da água, a poluição dos rios, o desperdício… O livro mostra como a natureza reage a tudo isso e ensina como os jovens devem lidar com essa questão. A linguagem do livro é bem leve e super acessível para as crianças, que aprendem uma bela lição enquanto se divertem com as maluquices do Zeca.

É um livro especialmente voltado para meninos, que curtem umas coisas escatológicas! rs… Imaginem que Zeca e Shui acabam caindo no esgoto fedido e ainda se encontram com o Cocossauro! hehehehe Bem coisa de menino mesmo! hehehehe

Enfim, os dois livros são bem diferentes, mas recomendo a leitura dos dois. Só lembrando que são livros infantis!! rs…

O Que Vem Por Aí – Intrínseca

O Que Vem Por Aí- Camila - Leitora Compulsiva - 10:17
ago182014

O que vem por aí

Olá, pessoal!!

Hoje estou aqui para apresentar os lançamentos da Editora Intrínseca para o mês de agosto. Já estou de olho em vários deles!!!!

Colagem2-e1406150869204

O ladrão de raiosO Mar de MonstrosA maldição do titãA batalha do Labirinto e O último olimpiano retornam às livrarias dia 18 de agosto com novas capas, que contam com as belíssimas ilustrações de John Rocco, também responsável pelas capas originais da série. Se colocadas uma ao lado da outra, as capas das novas edições formam um mural panorâmico que conta a inesquecível saga de nosso semideus favorito.

intrinseca - agosto

Pó de Lua, de Clarice Freire

Em 2011, discretamente, a publicitária Clarice Freire criou no Facebook uma página para reunir seus escritos e desenhos.  Batizou-a como Pó de Lua,  sua receita infalível “para diminuir a gravidade das coisas”. Desde então, ela vem conquistando uma legião de fãs fiéis e engajados, que se encantaram com a delicadeza de seus pensamentos, seu humor sutil e o traço despretensioso, que combina desenhos e até fragmentos de palavras. Da internet para as páginas de um livro, foi mais um salto para a jovem autora recifense, de apenas 26 anos. Ela surpreende seus admiradores com uma proposta diferente. Pó de Lua, o livro, tem o formato de um dos cadernos moleskine em que Clarice exercita sua criatividade. Inspirada pelas quatro fases da lua – minguante, nova, crescente e cheia –, ela trata em frases concisas e certeiras de sentimentos como a saudade, o medo, a paixão e a alegria, sempre em sua caligrafia característica, repleta de belas ilustrações.


Flash Boys 
 Revolta em Wall Street, de Michael Lewis

Descontrolado e invisível, o mercado financeiro atual, concebido para beneficiar apenas algumas pessoas, segue uma única lei: a velocidade. Tudo pode mudar num piscar de olhos, e há corretores de alta frequência que venderiam a própria avó em troca de um microssegundo de vantagem. EmFlash Boys, Michael Lewis volta a Wall Street para revelar como um punhado de indivíduos excêntricos e brilhantes está determinado a expor a verdade ao público. Esta é a história surpreendente de como um pequeno grupo decidiu enfrentar todo o sistema e declarar guerra contra algumas das pessoas mais ricas e poderosas do mundo.

Circuito de Mentiras, de Juliet Macur

Juliet Macur, premiada repórter do New York Times, acompanhou durante quase dez anos a incrível trajetória de Lance Armstrong, o ciclista que em 2006 atingiu o recorde de maior vencedor do árduo Tour de France ao conquistar sete títulos consecutivos, mas transformou-se num dos maiores párias da história esportiva devido a denúncias de que ele sempre teria recorrido ao doping para competir. Macur foi uma das poucas pessoas a ter acesso ao ciclista: obteve a versão do próprio Armstrong e reuniu relatos de centenas de testemunhas para revelar a dimensão do escândalo que transformou o ciclismo mundial. Em Circuito de mentiras, ela revela em detalhes o sistema elaborado por Armstrong e imposto aos atletas de sua equipe. O resultado é uma trama rica e abrangente sobre a ascensão de um homem para a fama e sua surpreendente queda.

Destrua Este Diário, de Keri Smith ― duas novas capas

Um diário costuma servir para anotar ideias, memórias ou registros do cotidiano. Keri Smith, ilustradora e artista canadense, inventou um tipo diferente de diário, que exige do usuário uma interação mais lúdica e inusitada. Com a proposta de estimular a criatividade e questionar convenções sobre a forma como lidamos com os objetos, Destrua este diário nos convida a rasgar páginas, rabiscar, pintar fora das linhas, manchar e até mesmo levar o livro para o banho. Com o sucesso da primeira edição brasileira, Destrua este diário volta com duas novas capas, aumentando ainda mais as possibilidades destrutivas para o leitor.

Termine Este Livro, de Keri Smith

Um livro de conteúdo profundamente misterioso foi abandonado em um parque. As páginas, soltas, foram embaralhadas pelo vento, e a capa, quase ilegível, exibia as palavras Manual de instruções. Keri Smith, autora de Destrua este diário, oferece ao leitor um novo desafio — decifrar o que há por trás dessa história e completar o conteúdo desconhecido da obra. E é claro que Smith não deixaria o leitor desamparado: a fim de realizar a missão, ele passará por um treinamento intensivo nas artes da espionagem e aprenderá a desvendar códigos secretos, reconhecer padrões ocultos no ambiente e usar a criatividade para dar a objetos comuns utilidades extraordinárias.

A Busca, de Daniel Yergin

Daniel Yergin demonstra que a questão energética é o motor de transformações políticas e econômicas globais da atualidade. A busca é um relato arrebatador sobre um problema que afeta o mundo contemporâneo: onde encontrar a energia de que tanto necessitamos? Neste livro, o autor aborda as formas de energia tradicionais sobre as quais nossa civilização se ergueu e as novas fontes que prometem substituí-las. Das ruas engarrafadas de Pequim ao litoral do mar Cáspio, dos conflitos no Oriente Médio até o Capitólio e o Vale do Silício, Yergin revela as decisões que estão moldando o futuro.

Uma Constelação de Fenômenos Vitais, de Anthony Marra

Em uma vila coberta de neve na Chechênia, Havaa, de 8 anos, observa seu pai ser levado no meio da noite por soldados russos que o acusam de colaborar com rebeldes chechenos. Do outro lado da rua, Akhmed, um amigo da família, vê a cena e teme pelo pior quando os soldados ateiam fogo à casa da menina. Ao encontrar Havaa escondida na floresta com uma estranha mala azul, Akhmed decide buscar refúgio num hospital abandonado onde a única médica remanescente, Sonja, trata os feridos — uma decisão que irá mudar a vida dos três para sempre. Ao retratar o poder transcendente do amor em meio à guerra, Anthony Marra constrói, em Uma constelação de fenômenos vitais, um romance profundo e marcante sobre amizade, perda e os laços inesperados que as pessoas são capazes de construir.

A 25ª hora, de C. Virgil Gheorghiu

Escrito durante o cativeiro do autor — preso pelas tropas americanas no fim da Segunda Guerra Mundial —, A 25ª hora conta a história de Iohann Moritz, um camponês romeno que é equivocadamente denunciado como judeu por um gendarme que lhe cobiça a esposa. Moritz cai nas garras dos nazistas, iniciando um périplo por diversos campos de concentração da Europa. Ao fugir com outros detentos para a Hungria, país “onde a vida é menos dura para os judeus”, acaba detido como espião romeno e é torturado. Deportado para a Alemanha, na condição de “trabalhador húngaro voluntário”, é examinado por um médico nazista que o considera um espécime excepcional da linhagem ariana. Ambientado num cenário irrespirável, A 25 a hora revela-se uma condenação não só do nazismo, como de todo tipo de totalitarismo. Um romance emocionante, com reflexões atuais e necessárias.

Os legados do Número Cinco, de Pittacus Lore

Nesse lançamento exclusivo em e-book, a origem do Número Cinco é revelada. Antes de se aliar aos maiores inimigos dos lorienos, antes de se infiltrar na Garde, antes de cometer a traição final, Cinco estava escondido. Quando seu Cêpan morre, o garoto é forçado a lutar sozinho pela sobrevivência. Ansioso para finalmente experimentar a liberdade e conhecer o mundo, Cinco se envolve com o tipo errado de pessoas — os mogadorianos.

Instrínseca - Rosa

Vivianne Fair – O Caçado: Inimigos nas Sombras

Fantasia, Humor, Infanto Juvenil, Literatura Nacional, YA Books- Camila - Leitora Compulsiva - 12:45
ago152014

Título: Inimigos nas Sombras

Série: O Caçado

Autor(a): Vivianne Fair

Editora: Lexia

Ano: 2014

Páginas: 270

Sinopse no Skoob

***

Conheci a autora Vivianne Fair em 2009, quando começamos a conversar pelo Skoob e ela me mandou um exemplar de seu livro “Quem Precisa de Heróis” (que na época se chamava ‘Cavaleiros do RPG’). Ela foi super simpática e resolvi dar uma chance ao livro. Eu simplesmente adorei a narrativa bem humorada e os personagens meio sem noção que ela criou e virei fã na mesma hora!

Desde então eu acompanho o trabalho dela bem de perto e estou sempre esperando pelo próximo lançamento. Assim que soube que ela estava terminando de escrever esse segundo livro da série ‘O Caçado’, já entrei na fila para conseguir um exemplar e tão logo ele chegou, comecei a ler.

Mas antes de falar especificamente sobre esse livro, vale a pena fazer um resuminho do que veio antes… rs!

‘O Caçado’ é uma série derivada da trilogia “A Caçadora”, que conta a história de Jessi. A moça, já beirando os trinta anos, descobre que seus pais são os maiores caçadores de vampiros de todos os tempos. Jessi é então convocada pelo Conselho para seguir o legado dos pais. Sua primeira missão é acabar com um vampiro chamado Eric. Para isso ela é enviada para a Pensilvânia e precisa se fingir de aluna universitária. A missão seria moleza se o Conselho não tivesse se atrapalhado e mandado Jessi para enfrentar Zack, o vampiro mais poderoso, lindo e convencido do mundo!! Durante toda a trilogia acompanhamos todos os desafios, as encrencas e as trapalhadas desse casal inusitado. A história toda é recheada de muito humor e com certeza não se parece com nenhuma outra história de vampiro que vocês já leram!! rs…

E como eu disse ali em cima, essa nova série da autora é derivada da primeira e desde já aconselho a vocês lerem as histórias na ordem. Até é possível entender a história de ‘O Caçado’, mas não vai ter a mesma graça. Enquanto ‘A Caçadora’ traz a história sob o ponto de vista da Jessi, em ‘O Caçado’ temos em tese a mesma história, só que agora da perspectiva do Zack. E porque praticamente? Bom, porque o Zack é um vampiro de 800 anos e muita coisa interessante aconteceu no seu passado. Dessa forma, o que encontramos nesse livro é uma narrativa que se alterna entre o presente do Zack com a Jessi e o seu passado.

Como eu já conheço a história do Zack no presente, o que mais me atraiu nesse livro foram as memórias dele sobre o passado. E nesse segundo volume conhecemos Altair, o primeiro e único melhor amigo de Zack. Descobrimos como eles se conheceram e como desenvolveram essa amizade. Altair acredita que junto com Zack eles podem formar uma bela dupla de heróis, combatendo o crime e salvando os inocentes. A ideia parece super divertida para Zack, mas ele tem que se desdobrar para manter o fato de ser um vampiro em segredo. Até porque ele e Altair estão caçando demônios e fica complicado explicar que ele próprio é um deles!! rs…

Para atrapalhar ainda mais a não-vida do Zack, ele precisa lidar com seus seguidores vampiros. Eles são praticamente crianças carentes e ficam muito chateados se não recebem a atenção de seu mestre. Eles ficam inclusive com muito ciume da amizade de Zack com Altair e acabam fazendo coisas bem ruins para tentar ter seu mestre de volta só para eles!

Nesse segundo volume também ficamos sabendo como o tal Conselho foi formado, quem foram os primeiros caçadores e porque eles tem poderes. E falando em Conselho… No presente eles estão tão empenhados em acabar com Zack que enviam um caçador mais experiente para auxiliar Jessi nessa missão, mas Vincent – o tal caçador experiente – é um verdadeiro psicopata e não mede esforços para acabar com Zack de uma vez por todas, mesmo que isso acabe colocando a vida de humanos inocentes em risco. E ainda temos a chegada de Eric, um misterioso personagem que dará muita dor de cabeça ao Zack.

Bom… Apesar de já conhecer boa parte da história, foi ótimo acompanhar a visão do Zack sobre os acontecimentos do presente. Até porque acontecem coisas extremamente importantes sobre o relacionamento dele com a Jessi e foi bacana saber que ele não é tão durão quanto gosto de mostrar! hehehe E sobre seu passado e sua amizade com Altair, eu adorei tudo. Sabia que o Zack tinha alguma coisa a ver com o Conselho! hehehe

Mais uma vez o humor não foi a ponto mais marcante como aconteceu com os livros de “A Caçadora”, mas ainda sim me diverti bastante. Não há tantas cenas engraçadas, mas certas frases do Zack me fizeram rir muito. Acho que ele é um dos melhores personagens da literatura nacional!! Às vezes acho que a Vivi usa o Zack para dizer todas as coisas politicamente incorretas que ela tem vontade! hehehehe

Essa é uma série que eu curto e indico!!

Outros livros da autora já resenhados aqui no blog: Cavaleiros do RPG / Quem Precisa de Heróis; Poderes Encrenqueiros A Caçadora 1: Sorriso de VampiroA Caçadora 2: O Sussurro das Sombras;  A Caçadora 3: Temporada de CaçaO Caçado 1: Os Olhos da Caçadora